segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Uma noite na Lua

Brincavas, menina.
A Lua estava com sono
E o mundo se construía
Na TV primitiva
Em vidas descoloridas

Esconde-esconde
E eu que nunca te achava
Queria ver a águia pousar
Na Lua da poça d'água
A Apolo XI

Meu mundo era sideral
Nos pulos de Armstrong
E o teu tão normal
Em passos saltitantes
No jogo de amarelinha.

2 comentários:

Ana Coeli Ribeiro disse...

Lembro disso, mas nessa época já brincava de amarelinha também.Vejo que meu amiguinho ja dava seus pulos no "Mar da Tranquilidade"
Adorei!
Luz!

José Fernando Nandé disse...

Ganhei depois um mapa da Lua. Acho que veio de encarte na antiga revista Manchete e fiquei dias tentando entender a razão de chamarem de mar um deserto lunar!