domingo, 6 de agosto de 2006

Água para aquietar madame

Curitiba é seca
Falta água
Falta o frio
E, principalmente,
Falta o mar que Curitiba nunca teve.

A madame da casa ao lado veio me pedir um balde d’água
– logo ela que nunca falou comigo –
Dei-lhe a água
E ela devolveu-me um "obrigada"
Mergulhado em labaredas que saltavam de seus olhos.

Melhor ficar assim, só no olhar e desejo.

Mais tarde me devolveu o balde vazio.
Outro "obrigada" agora banhado em gelo.
O banho frio devolveu o juízo à madame
E eu que nunca tive juízo não careço de banho.

2 comentários:

Ana Clara Garmendia disse...

ADOROOOOO
SAUDADES QUERIDO
VCE SEMPRE SENSIVEL
BEIJO GRANDE

AnJaka disse...

Hi roteiros, yesterday I visited unsecured loan. maybe you will found some good the artilce site.
see you again, roteiros