terça-feira, 6 de abril de 2010

Scorpio et Virgo

Sou de Escorpião,
Concebido de coração escondido
E provido de mortal veneno guardado.
Tu és de Virgem,
De alma escondidinha também,
Entretanto, transbordante em afetuosidade.

A rigor, não combinamos.

Porém, desconfio das estrelas
Que te entregaram em fado aos nativos em Peixes
E a mim a esta gente regida por Vênus.
Tu és, portanto, meu desafio
A arder a fio em férreo desejo incendiado.

Duvido igualmente que tenhas que viver só, triste em terra
E que eu deva triste viver entregue à solitária e fria água.
Creio que há possibilidades
De combinarmos a púrpura com o azul-prateado,
Altas temperaturas com teu rubor e senso prático.

Mas, o que eu queria te dizer, soprar-te aos ouvidos,
É que sou a constância pela qual pelejas,
Cercado de mistérios, é verdade,
Mas que tua inteligência já tem por compreendido.

Meu ciúme iria bem com tua entrega total...
Sabes, sou poeta, e posso suplicar às estrelas
Para que elas te digam das falhas dos horóscopos
Ao te olvidares dos signos ascendentes
E dos desejos que ignoram as vontades dos astros.

3 comentários:

Luciene de Morais disse...

Ah, combina sim! Combina muito, aliás. A terra dá forma à água e a água fertiliza a terra.
Águas profundas, essas de escorpião... Bjks

José Fernando Nandé disse...

Confirmei ontem, combina não!

Luciene de Morais disse...

Se posso arriscar um palpite, em tese e genérico na verdade... o desejo de entrega total e urgente, de uma parte, e a falta de confiança, da outra parte. Medos, de intensidades variáveis, todo mundo tem, alocados em diferentes lugares. Combinar talvez seja um problema menor... compreensão e aceitação me parece a chave maior. Bjks
Ah... e aqueles dados, que ficou de me enviar???