sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Vadia

A Lua,
Esta doce vadia,
Some por sete dias,
Noutros brilha para todo mundo,
Mas, pudica,
Mesmo que sempre nua,
Não é de ninguém.

Em latim:

Errabunda


Luna,
Dulcis errabunda,
Septies evanescit,
Saepe hominibus totis refulget,
Sed, pudica,
Tamen nuda semper,
Nonnulli hominis non est.

Um comentário:

saulo rocha enes disse...

amei essa poesia! peço-te que postes idem formosura