quarta-feira, 17 de abril de 2013

Tu, meu acerto


Fosse-me a existência
Mais dura ainda do que é
Fosse-me a vida
Tão mais desencontrada
Creio que ainda valeria a pena
Tu estás nela, no meu ar
Nas minhas esquinas
No luar da noite finda
No Sol deste dia tão comum
E que brilha em teimosia
Teimosamente sobre nossas cabeças
Amar a ti foi meu acerto
E se o céu cair
E se a Lua sumir
E se o Sol apagar
E se não houver esquina
Não me importarei
Porque a ti ainda respiro.

Um comentário:

iara vilella disse...

Uma essência doce de perfume para esse coração tão sofrido de Amor...
Boa semana.
iara