terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Credo

Creio em ti
Porque tu és meu semelhante
Creio em ti
Porque tu comes do amargo pão
Creio em ti
Porque tu amas, gostas e odeias
Creio em ti
Porque tu choras e te alegras
Creio em ti
Porque tu vives em meus olhos
Creio em ti
Porque tu não és obra do acaso
Creio em ti
Porque tu sofres até sangrar
Creio em ti
Porque tu tens alma e espírito
Creio em ti
Porque tu duvidas de mim e de ti
Creio em ti
Porque somos a dúvida que crê.

2 comentários:

Ana Clara Garmendia disse...

Que lindo!!!
Beijos querido amigo poeta!!

José Fernando Nandé disse...

Obrigado. Logo faço outro para você!