quarta-feira, 24 de março de 2010

Das formigas e moscas

Várias são as coisas risíveis
Naquilo que chamamos
De espírito humano,
Uma delas é essa estupidez
De portar no peito
O germe do fim
E ao mesmo tempo
Essa soberba vontade
De determinar as coisa infinitas:
Formigas que miram o céu,
Moscas que contemplam a eternidade.

2 comentários:

Regina Mary Girardello disse...

Tua Poesia aqueceu meu coração nessa hora tão triste.
Obrigada.

José Fernando Nandé disse...

Creio que essa é nossa função neste mundo de horas tristes.
Força, a luta te espera!