quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Interior

Mudo
Falo
A mim
Mesmo
Sobre
Rosas,
Flores...
De ti
Muda,
Triste,
Nada
Falo.
Mudo,
Amor
Calo.

4 comentários:

Luciene de Morais disse...

Bom seria não calar o amor...

José Fernando Nandé disse...

Às vezes é preciso amar calado, Vai que a moça é casada!

Luciene de Morais disse...

hehe Aí não é amor, é tesão. Amor é construído, acho eu.

José Fernando Nandé disse...

Não poderia ter perdido a deixa. Não é o caso deste poema, mas boa parte de nossa literatura é construída sobre a impossibilidade de se ter o objeto do amor, ou ainda, de nem mesmo poder comunicar ao amado, o desejo de amá-lo.
Ainda bem, não acha?