sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Resistentes

Resista
É dado ao homem resistir

Resistir ao dia
Sobreviver à noite

Por isso resista

É belo resistir

Faça-se resistência
E seja resistência
Das mais puras

Resistência só e para si
Não serve: é egoísmo
Resista em nome
De seu semelhante
Em favor da Justiça
Em favor da vida
Mesmo que isto
Possa lhe trazer a morte


De resto, a vida sem resistência
É o mais puro morrer
É derreter-se num cemitério
É apodrecer-se sem saber.

3 comentários:

Luciene de Morais disse...

Sobrevivemos, enquanto resistimos... isso eu conheço.
Só assim se sobrevive? Não há nada mais fácil e menos doloroso?
Beijo

José Fernando Nandé disse...

Resistir com poesia, ou seja, sem perder a ternura!

Luciene de Morais disse...

hehe isso também conheço!
beijo, Nandé