terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Outono

O Outono é puro mistério...
...É uma mulher linda, linda
De olhos tristes
E irremediavelmente linda
Que salta do décimo andar
Morre e ninguém
Sabe o motivo do gesto.

O Outono é um mistério.

Que nos contorce a alma
Que nos deixa em feridas

Mas por ser mistério
Nos dá em alguns dias
Umas parcas bandagens
Que remendam, porém
Nada curam, nada saram.

O outono é um mistério.

Que nos deixa taciturnos
Que nos faz moribundos

Mas por ser mistério,
Não chega definitivamente
A matar, a trucidar
Limita-se a torturar
Como aborrecidas
Cócegas na sola do pé.

3 comentários:

Luciene de Morais disse...

Essa estação parece mais comigo. Bom, sou do outono mesmo.

Luciene de Morais disse...

Ah, gostei do novo lay.

José Fernando Nandé disse...

Esses poemas são antigos, talvez com mais de 20 anos. Coisa de menino ainda!