sábado, 4 de junho de 2011

O céu em papel doirado


Modesta e graciosa,
Pediste-me o Céu de presente
Com todas as suas estrelas
E o que mais há no firmamento...
Estou providenciando, meu amor,
Creio que logo tu receberás
Teu Céu, tua Lua e outras cintilâncias,
Mas é que agora se apresentam
Alguns pequeninos problemas:
Para tanta coisa falta-me a embalagem;
Uma caixa do tamanho do meu peito
Envolta num grande papel doirado,
Amarrada com singela fitinha vermelha
E um cartão, desses enfeitados com rosas,
Ursinhos fofinhos e solitários,
A dizer-te que o meu amor por ti
Ainda é maior do que isso tudo!

4 comentários:

Vera Nilce disse...

muito lindo este poema Zé

ana coeli disse...

"Uma caixa do tamanho do meu peito"
Ai,ai, escreves coisas tão lindas...Belo poema.
Luz
Ana Coeli

ana coeli disse...

Ai, ai, escreves coisas tão lindas...Belo poema!
Luz
Ana Coeli

Anônimo disse...

lindo, que bom que a vida fosse sómente assim, como a poesia,bjo,cirlei.