quarta-feira, 22 de junho de 2011

Cativos, indecentes e roubados


Ah! Esses amores que julgávamos esquecidos
E que, inopinadamente, nos tornam à mente
Em arrepios, em indecências, em arrependimento...

Ah! Esses amores que ficaram pela vida
Aguardando, quem sabe, novo tropeço neles mesmos,
Um novo começar sempre adiado pelo medo:

São teimosos e nos fazem cativos
De um desejo falsamente não desejado,
De quem guardamos sempre e sempre
O último beijo - impudico e roubado.

---------------
Ilustração: Manet, 1857

3 comentários:

ana coeli disse...

"Ah, esses amores que julgávamos esquecidos.."
Lindo!
Luz
ana

José Fernando Nandé disse...

Ana, você é sempre muito gentil! Havia publicado sem revisar a pontuação, creio que agora ficou mais cadenciado!

ana coeli disse...

Ah, amigo, quem manda escrever coisas tão lindas, adoro vir aqui.
Luz