sábado, 2 de julho de 2011

Cantiga do bem imaginar


Não falo mais da morte
Porque dela já muito falei
Falo da vida, menos triste
Porque do triste me apartei

Falo do Céu que nos cobre
Das amizades que terei
Das coisas mais bonitas
Da beleza que em ti encontrei

Não falo mais da morte
Essa estúpida a nos espreitar
Falo das coisas que entendo
Dos enfeites a te enfeitar

Não falo mais da morte
Da tristeza em meu olhar
Falo de ti que me alegras
No caminho a caminhar

Falo de ti que me carregas
Sem reclamar do peso a carregar
E daquilo que encontro
Neste mundo feito no imaginar.

2 comentários:

ana coeli disse...

"Falo do céu que nos cobre das amizades que terei"
Gosto muito de ser sua amiga
Luz
ana

José Fernando Nandé disse...

Às vezes me odeio fazendo música. Geralmente, as faço quando encontro amigo violeiro. Cantamos e não anotamos nada e depois tenho que lembra tudo de cabeça. Vou começar a andar com um gravador. Essa música tinha mais coisa. Liguei por parceiro, e ele não lembrava quase nada!