domingo, 3 de julho de 2011

Vestido vermelho


Cheguei em casa e lembrei d'ocê
Do seu vestido trágico e vermeio
Cheio de flor a voar também
No forró apertado, no vai-e-vem

'Cê 'tava que 'tava, da festa a mais bonita
Ficamos só nós dois no salão
No frio imenso e aquele calorão
Dançar sem música, ninguém acredita!

Sandaia de couro, chapéu de vaqueiro
Vestido de chita trágico e vermeio
Forró arroxado, ai que desespero
Sodade d'ocê e 'ocê não vem!

5 comentários:

ana coeli disse...

Vestido de chita...Até ouvi o forró...
Luz
Ana

José Fernando Nandé disse...

Trágico e vermeio!

ana coeli disse...

Amigo, você escreve todo o dia?
Acho muito bonito vc responder meus comentários, é muito bom.

José Fernando Nandé disse...

Todo o santo dia tenho que escrever alguma coisa. Chamam a isso disciplina de escritor: todo dia você deve escrever algo e de preferência dedicar uma hora para isso. Peguei esse costume. Isso serve tanto para prosa quanto para poesia, nem sempre sai coisa boa, mas você vai se aperfeiçoando. Assim, boa parte do que você lê aqui acabou de ser feita.

ana coeli disse...

Esse ensinamento é perfeito, temos que ter disciplina, ainda não consigo fazer isso mas vou tentar.
Na verdade sou muito insegura com o que escrevo, meu blog era só para mim mesmo. Quando vc e outras pessoas leram, fiquei entre feliz e encabulada. ler seu blog me ispira a continuar aprendendo. obrigada por tudo, de coração.
Luz
ana