terça-feira, 12 de julho de 2011

Quem és?

O que há em ti, criatura,
Que te faz cada dia mais bela?

O que te faz cada manhã mais agradável?

Talvez, a resposta esteja no que escreves
E com a insegurança da mocidade
Tu me escondes, ou na verdade, me negas.

Mas, não adianta tantos e tantos segredos,
Nos teus olhos há um livro que,
Em cada noite, leio mensagens ocultas.

Um dia, talvez, aprenderei teu dialeto
E poderei dizer quem tu és e a mim te explicarei
Para pura satisfação da curiosidade deste amante
Triste, triste, que no amor é cansado e incrédulo.

3 comentários:

ana coeli disse...

"Nos teus olhos há uma livro que em cada noite, leio mensagens ocultas..
Ah amigo,cada dia teus versos são mais belos...Gosto muito de ler o que escreves!
Luz
Ans

José Fernando Nandé disse...

Esta é a "brixaria" da poesia, fazer a gente ver o que se esconde no fundo das almas.

José Fernando Nandé disse...

Leia-se "bruxaria", por favor!