terça-feira, 5 de julho de 2011

Quando conheço seus sonhos


Quando quero conhecer verdadeiramente a pessoa
Pergunto o que ela sonha,
Não o sonho de projetos futuros, o por fazer
Ou aquilo que desejamos por conquista
Mas os sonhos tidos e havidos, ou pesadelos
Aqueles devaneios que não são combinados
Porque acontecem na noite da razão

Boa parte das pessoas diz não se lembrar
Outras acham que não devem contar
Outras ainda, seguem seus sonhos como novela

Daí concluo:

As que não lembram do sonhado
Geralmente se fazem pessoas pouco interessantes
Dizem o trivial, fazem o trivial, têm a vida como peso
Afirmam-se contentes com essa realidade bárbara
Que barra até mesmo o seu outro viver

As que acham que não devem contar suas graves quimeras
Têm medo de se trair, pois guardam desejos secretos
Coisas muito íntimas, medonhas barbaridades
Essas já são mais interessantes, são mistério

E por último, as noveleiras sonhadoras inveteradas
Aquelas que acham que essa vida é o sonho
E que a realidade está do outro lado
Aquelas iluminadas que enxergam com o espírito
Estas valem a pena e são as que transformam o mundo
São artistas, são poetas, são humanas!!

3 comentários:

ana coeli disse...

"Aquelas iluminadas que trasformam o mundo" e que faz uma descrição tão perfeita da alma das pessoas...Só podia ser você meu amigo!
Luz
ana

José Fernando Nandé disse...

Você está nesse grupo! Não esqueça!

ana coeli disse...

Temos que não esquecer de sonhar.Obrigada pelo carinho!
Luz
Ana