terça-feira, 26 de julho de 2011

Em ti, a plenitude


Acordo de madrugada
Estico o braço para o lado
E encontro o vazio.

Perco o sono vazio
E percorro cada segundo
Esquecido e repleto de de ti.

Há muito tempo que não sonho
Nem contigo nem com coisa alguma
Fiquei vazio e só no tempo passado
É que me encontro, me imagino.

Era o tempo que tu estavas em mim
E por isso, eu existia em plenitude
E lutava e amava e vivia e vivia
Sem precisar sonhar, pois sonhava.

4 comentários:

ana coeli disse...

Sem precisar sonhar,percorri cada segundo esquecida de mim na plenitude dos teus versos...ou sonhava..
Luz!
Ana

José Fernando Nandé disse...

Isso é que dá acordar de madrugada e não ter o que fazer... Acabamos fazendo poesia!

ana coeli disse...

Fizeeste a mais linda poesia..ainda achas que não fizeste nada?
Lua
ana

Ana Coeli Ribeiro disse...

Cadê você amigo? Sinto falta de tua poesia..
Luz
Ana